Templo do tênis, Roland Garros volta a receber lutas de boxe em setembro

A Federação Francesa de Tênis (FFT, na sigla em francês) anunciou nesta quarta-feira que a quadra Philippe-Chatrier, a principal do complexo de Roland Garros, em Paris, vai receber uma programação de boxe em 10 de setembro, que terá como atração principal o boxeador francês peso pesado Tony Yoka, campeão olímpico dos superpesados no Rio-2016.

Yoka soma 10 vitórias consecutivas como profissional e vai enfrentar o croata Petar Milas, que venceu suas 15 lutas. Em outro combate, o francês Mathieu Bauderlique, medalhista de bronze, enfrenta o russo Igor Mikhalkin pelo título dos meio-pesados da União Europeia de Boxe.

A esposa de Yoka, Estelle, também vai lutar, mas a rival não está definida. Outras três lutas acontecem neste evento em Roland Garros, que receberá o tênis e o boxe nos Jogos Olímpicos de 2024, em Paris. A quadra Philippe-Chatrier tem capacidade para 15 mil pessoas e um novo teto retrátil.

Esta não é a primeira vez que um dos mais tradicionais locais do tênis recepcionará a nobre arte. Roland Garros foi o anfitrião da luta em 1946 do lendário Marcel Cerdan, campeão europeu dos médios, diante do americano Holman Williams, por pontos. Cerdan teve 110 vitórias (65 nocautes), em 114 lutas, e morreu, aos 33 anos, em um acidente de avião.

Em 1973, foi a vez do argentino Carlos Monzón, campeão mundial dos médios de 1970 até 1977, lutar em Roland Garros e vencer o francês Jean-Claude Boutier, por pontos.