O sudoeste do Paraná iniciou a semana com temperaturas baixas e com o fenômeno de chuva congelada, que somente é possível observar quando existe uma massa de ar frio, associada a chuva.

De acordo com a meteorologista do Simepar, Lidia Luisa Mota, o fenômeno acontece quando “as gotículas de chuva, encontram uma camada de ar muito frio, o que leva o congelamento das gotículas.”

Lidia explica que este é um tipo de precipitação de inverno, que pode acontecer, porém, não é algo comum.

Ela ainda destaca que o fenômeno registrado nessa manhã foi possível devido a chegada de uma frente fria, que tem na retaguarda uma massa de ar, que está intervindo na temperatura.

Os registros do Simepar, apontam para chuva congelada também em Enéas Marques na manhã de hoje.  

Neve

Ainda de acordo com Lidia, a chuva congelada se difere da neve na condição climática.

No caso da neve, para que os flocos de neve cheguem ao solo, é necessário que a camada de ar esteja em 0ºC ou abaixo. Caso contrário o floco de neve, derrete. “Caso não tenha as condições ideais, pode sair da nuvem como floco de neve e derreter no meio do caminho.”

Lidia comenta que a previsão de neve no Paraná, mais precisamente no extremo Sul do estado e região dos campos de Palmas, era para a manhã desta segunda-feira por conta do choque de massas, contudo, não se confirmou, o que pode contribuir para novos registros de chuva congelada.