Pato Branco

Dia Mundial de Higiene das Mãos ganha ainda mais importância na pandemia

A médica Susane Marafon é infectologista no Hospital Policlínica, em Pato Branco - Crédito: Divulgação

Assessoria

A pandemia de covid-19 já resultou em quase 15 milhões de casos no Brasil e mais de 408 mil mortes. No Paraná, o número de casos confirmados se aproxima de um milhão, com mais de 22 mil vítimas do coronavírus. Enquanto a vacina não está disponível para toda a população, as medidas mais eficazes são a higienização das mãos, o uso de máscaras e o distanciamento social.

A higienização das mãos é tão importante que tem até um dia mundial para comemoração, 5 de maio, instituído pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A médica infectologista Susane Marafon, do Hospital Policlínica, de Pato Branco, relata que a campanha tem o intuito de aumentar a adesão das pessoas à higiene das mãos.

“A higienização de mãos é uma prática fundamental dos profissionais de assistência à Saúde, para evitar a transmissão cruzada [contaminação de um paciente para outro]. Para a população, é uma forma eficiente e fácil de prevenir contra o coronavírus e outras doenças”, frisa a médica.

Susane explica que as mãos podem “transportar” os vírus e bactérias para os olhos, boca e nariz. “São áreas de mucosa que facilitam a entrada desses organismos no corpo, daí a importância de higienizar as mãos.”

A infectologista, que integra o Corpo Clínico do Hospital Policlínica desde 8 de março deste ano, observa que lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool 70% têm a mesma eficácia na prevenção de vírus e bactérias.

“As pessoas devem utilizar álcool 70% de boa procedência. O álcool com porcentagem acima de 70 não é indicado para uso tópico e pode até causar lesões na pele. Álcool abaixo de 70% não tem eficácia na higienização”, alerta.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima