Feira do Artesão reúne pessoas na praça Presidente Vargas

É com um ambiente alegre, familiar e com um carinho especial de artesãos, que a população que passa em frente a Igreja Matriz, na praça Presidente Vargas, é recebida. Neste sábado (4), acontece a primeira edição do mês da Feira do Artesão. Hoje, mais de 40 profissionais estarão expondo seus trabalhos até as 17h.

As feiras vêm ocorrendo desde maio deste ano, quando artesãos receberam a autorização do município para realizá-las com o auxílio do Departamento de Cultura. A permissão para realização na praça veio após uma reivindicação, por um ambiente que conseguisse abrigar a todos e trouxesse visibilidade aos trabalhos confeccionados pelos artesãos.

De acordo com Suelen Ramos, especialista em cristais, que trabalha com biojoias, a feira é uma oportunidade para todos os artesãos, uma vez que ocorre na região central de Pato Branco, com grande fluxo de pessoas. “Alguns de nós expõem junto a Feira do Produtor. Mas, justamente por lá não ter um espaço para o artesanato que foi viabilizado essa feira. Aqui, já começamos a ter retorno financeiro, pois, os meus clientes vêm e acabam conhecendo o trabalho dos outros, e vice-versa”, explica Suelen, contando que ela e o marido, Jean, caricaturista, vivem exclusivamente da renda de artesanatos.

Suelen e Jean são pato-branqueses e há quase cinco anos foram convidados pelo Festival Gastronômico para viajar o Brasil junto. Por quatro anos eles conheceram quase todo país vendendo sua arte. Porém, com a pandemia, o estilo de vida do casal precisou mudar. Para saber mais sobre essa história, que claramente renderia um livro, assista abaixo o depoimento de Suelen:

No Instagram, Suelen e Jean expõem seus trabalhos nos perfis @ventoplanetario e @jferrari_artes.

Artesanato há mais de 20 anos

Marlene, que trabalha com artesanato há mais de 20 anos, comenta que a confecção de seus produtos é um passatempo que ela concilia com outras atividades. Sendo uma das pessoas que também expõem na Feira do Produtor, ela conta que os lucros aumentaram com as vendas na praça. “O movimento é bem maior porque tem mais pessoas circulando. Aqui temos mais resultados.”

Abaixo, dona Marlene conta um pouco mais de sua história e sobre o pensa da feira:

Projeto Apac

Na feira, a barraca da Gabriela de Oliveira comercializa suculentas, toalhas, tapetes, tábuas para carnes e também alguns materiais feitos pelos apenados da Apac (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) de Pato Branco. No local, a artesã vende os produtos para auxiliar os homens que cumprem pena, onde, na maior parte dos casos repassam o dinheiro às famílias.

Setembro Amarelo

Nesta manhã, no mesmo local onde está ocorrendo a Feira do Artesão, profissionais do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Pato Branco organizaram uma intervenção para chamar a atenção da população para o significado da campanha ‘Setembro Amarelo’. Equipes do Município distribuíram panfletos, conversaram com as pessoas que passavam pelo local e também realizaram uma atividade física.