Secovi-SP: Aluguel residencial na cidade de SP sobre 3,12% em 12 meses até junho

O preço médio de novos contratos de locação residencial na cidade de São Paulo teve aumento de 3,12% entre julho de 2020 e junho deste ano, de acordo com dados divulgados pelo Sindicato da Habitação (Secovi-SP) nesta segunda-feira, 19. O número ficou abaixo do IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), medido pela Fundação Getúlio Vargas, que registrou uma variação de 35,75% neste mesmo período. O valor médio dos novos contratos de locação permaneceu quase estável em junho, em comparação a maio, com leve aumento de 0,20%.

O aumento foi sentido em todos os valores médios dos imóveis no mês de junho. A maior alta foi nos imóveis de 3 dormitórios, que registraram alta de 0,40% no mês.

“O valor do aluguel tem apresentado estabilidade nos últimos dois meses, após uma ligeira queda em abril. Esse comportamento proporciona maior estabilidade para o acumulado do índice, e comprova que o reajuste dos aluguéis pelo IGP-M não está sendo repassado na grande maioria dos contratos vigentes”, analisou o Secovi-SP, em nota.

Entre os tipos de garantia mais usados pelos inquilinos, o fiador foi a mais frequente – utilizada em 45,5% dos contratos de locação realizados. A segunda modalidade mais usada foi o depósito de três meses do valor do aluguel, em 39% dos casos. Outros 15,5% optaram pelo seguro-fiança.