Esportes

Com reservas, Fluminense joga bem, empata com Portuguesa-RJ e mantém vantagem

O Fluminense jogará por um empate contra a Portuguesa-RJ, daqui uma semana, para avançar à decisão do Campeonato Carioca. O time reserva utilizado pelo técnico Roger Machado jogou bem e buscou a igualdade no estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro, neste domingo, por 1 a 1, mantendo a vantagem no confronto. A vingança dos 3 a 0 não veio, mas o resultado foi bom, já que os titulares foram preservados para a Copa Libertadores e a decisão será no Maracanã.

Foi uma semifinal bastante disputada, com diversas oportunidades de gols de ambos os lados, goleiros brilhando e decidida em duas penalidades anotadas pelo VAR após toques de mão dentro da área. Chay abriu o marcador para os donos da casa e o uruguaio Abel Hernández empatou para o Fluminense.

De olho em mais uma dura partida na Colômbia pela Libertadores, desta vez em Barranquilla, contra o Junior, Roger Machado desistiu da ideia de usar um time misto e optou pelos reservas no Luso-Brasileiro. Apenas o goleiro Marcos Felipe começou a partida. Fred, Nenê, Calegari e Nino nem foram relacionados para a semifinal.

O Fluminense sabe que um bom resultado na Colômbia deixará a vaga às oitavas de final bem encaminhada e optou por não arriscar nomes importantes. Até o paraguaio Bobadilla, reserva de luxo para o ataque, foi preservado na escalação inicial. Entrou na reta final, apenas. Roger Machado apostava na categoria de Cazares e Paulo Henrique Ganso juntos na armação e em Abel Hernández na frente para se vingar dos 3 a 0, no estádio do Maracanã, na fase de classificação.

O jogo começou em alta velocidade no Luso-Brasileiro. Logo aos cinco minutos, bela trama e Neguete salvou a cabeçada forte de Paulo Henrique Ganso. A resposta veio imediatamente, desta vez com o zagueiro Manoel evitando o primeiro gol do jogo em chute de Chay.

Curiosamente, os dois jogadores envolvidos na primeiras chances de cada lado apareceriam no lance do gol da Portuguesa-RJ. Após cruzamento, a bola bateu no braço do meia e o VAR foi acionado. Após quatro minutos de verificação, o pênalti acabou anotado e o atacante cobrou com perfeição, sem chances para Marcos Felipe.

Até então invicta contra os grandes do Rio de Janeiro, com vitórias sobre Vasco e Fluminense, além de empates contra Flamengo e Botafogo, a atrevida Portuguesa-RJ mais uma vez estava “aprontando”, em um primeiro tempo de grandes oportunidades.

Abel Hernández perdeu gols incríveis, assim como Paulo Henrique Ganso. O meia parou em Neguete e ainda teve um gol evitado por Watson, em cima da linha. Marcos Felipe também trabalhou bem na atraente etapa.

As equipes mantiveram escalação e postura após o retorno do vestiário. A Portuguesa-RJ em menos de 10 minutos chegou três vezes. Chay, egoísta, não serviu um companheiro e o time perdeu gol claro. Pelo Fluminense, o cobrado Cazares enfim deu as caras, com chute raspando e cruzamento na cabeça de Paulo Henrique Ganso que bateu na mão de Diego Guerra em novo lance de VAR e pênalti anotado, agora mais rapidamente.

Mesmo com dois habilidosos meias, quem assumiu a cobrança foi Abel Hernández. O uruguaio deslocou o goleiro para anotar pela segunda vez. Já havia cobrado um pênalti igual contra o Madureira.

Com o passar do tempo, os times viram seus escalados cansarem e optaram por inúmeras mudanças, o que fez o ímpeto ofensivo diminuir. A partida ficou mais equilibrada e sem novos gols, apesar de defesaças de Marcos Felipe e Neguete nos acréscimos. O Fluminense apostará em novo empate, agora em casa, enquanto que a Portuguesa-RJ acredita que pode repetir a vitória da primeira fase no Maracanã para se garantir na decisão.

FICHA TÉCNICA

PORTUGUESA-RJ 1 x 1 FLUMINENSE

PORTUGUESA-RJ – Neguete; Watson (Muniz), Pedro Carrerete, Diego Guerra e Luiz Gustavo; Wellington Cézar, Mauro Silva e Cafu (Everton Heleno); Romarinho (Andrezinho), Jhulliam (Douglas Eskilo) e Chay (Rafael Pernão). Técnico: Felipe Surian.

FLUMINENSE – Marcos Felipe; Samuel Xavier, Manoel, Matheus Ferraz e Egídio; Wellington (Yago Felipe), Hudson (Martinelli), Cazares (Kayky) e Ganso (Caio Paulista); Abel Hernández (Bobadilla) e Gabriel Teixeira. Técnico: Roger Machado.

GOLS – Chay (pênalti) aos 14 minutos do primeiro tempo; Abel Hernández (pênalti), aos 11 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Wellington Cézar, Watson, Diego Guerra e Chay (Portuguesa-RJ); Hudson, Bobadilla e Wellington (Fluminense).

ÁRBITRO – Alexandre Vargas Tavares de Jesus.

RENDA E PÚBLICO – Jogo com portões fechados.

LOCAL – Estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro (RJ).

Para cima