Esportes

Léo de Deus obtém índice nos 200m borboleta e confirma presença em 3ª Olimpíada

Leonardo de Deus se tornou o décimo nadador brasileiro a garantir a vaga olímpica nos Jogos de Tóquio. Nesta quarta-feira, ele obteve o índice nos 200 metros borboleta, na Seletiva Olímpica, disputada no Parque Aquático Maria Lenk, no Rio de Janeiro. Guilherme Costa, que já estava assegurado nos 400m livre, também se classificou para os 800m livre.

Um dos nadadores mais experientes da seleção brasileira, Léo de Deus vai disputar sua terceira Olimpíada. Para tanto, obteve o tempo de 1min56s01 e venceu a prova dos 200m borboleta. Ao fim da disputa, ele celebrou o feito e lembrou dos sacrifícios que vem fazendo nos últimos meses para manter o ritmo de treino. Para evitar qualquer risco de contaminação por covid-19 em sua família, ele chegou a se mudar para o Parque Maria Lenk, apesar da distância do filho de apenas oito meses.

“Terceira Olimpíada. Vale muito a pena passar por tudo que a gente passa. Estou afastado da minha família há dois meses pensando só nisso. Tenho que agradecer à minha equipe e a todos os meus apoiadores que me deram todo o suporte para que eu chegasse aqui e conseguisse esse índice”, declarou o nadador, que projeta nadar para 1min54s na capital japonesa.

Também nesta quarta, Guilherme Costa, o Cachorrão, voltou a se destacar nas provas de meio fundo. Dois dias após obter o índice nos 400m livre, ele repetiu a dose nos 800m livre, com o tempo de 7min50s41. “Não foi o tempo que eu gostaria, mas estou feliz com mais um índice. Preciso ver com meu treinador, pois era pra ter passado um pouco mais baixo que é o que eu tenho que fazer nos Jogos Olímpicos”, analisou.

No feminino, o Brasil segue sem o índice olímpico. Nesta quarta, Nathalia Almeida venceu os 200 metros medley, com 2min13s25, tempo acima da marca exigida para a classificação olímpica. Nos 200m livre, o mesmo aconteceu com Aline Rodrigues (1min59s14). Mas a prova permitiu formar a equipe brasileira que vai tentar a vaga olímpica no 4x200m livre, com Aline, Larissa Oliveira, Nathalia Almeida e Gabrielle Roncatto.

A Seletiva Olímpica teve início na segunda-feira, quando Guilherme Costa, nos 400m livre, e Felipe Lima, nos 100m peito, foram os primeiros brasileiros a garantirem o índice olímpico. Na terça, Fernando Scheffer e Breno Correia se classificaram no 200m livre e o time do 4x200m livre foi formado ainda com Murilo Sartori e Luiz Altamir, que também nadaram abaixo do índice.

Nos 100 metros costas, Guilherme Basseto e Guilherme Guido conseguiram a vaga. Antes da Seletiva, numa exceção à regra permitida pela CBDA, Bruno Fratus obteve o índice nos 50m livre, numa etapa do Grand Prix americano. Ele mora nos Estados Unidos e pediu para a competição local ser considerada como seletiva para evitar o risco de contaminação por covid-19 numa viagem ao Brasil. A competição brasileira será disputada até sábado.

Para cima