Esportes

Volta Redonda é primeiro nas semifinais e Botafogo segue fora do G4

O Volta Redonda é o primeiro time a se garantir nas semifinais da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Neste sábado à noite, pela nona rodada, o time empatou por 2 a 2 com o Botafogo e chegou aos 20 pontos, na liderança isolada. O Flamengo tem 19 pontos, porém, com um jogo a menos. O Botafogo segue em quinto lugar, com 12 pontos, e fica em situação delicada em termos de classificação.

Acontece que nas últimas rodadas, o Botafogo terá de brigar pela quarta posição com o Fluminense, que tem 13 pontos. Mas o tricolor pode se distanciar no domingo quando vai receber no Maracanã o Nova Iguaçu. A Portuguesa, com 17 pontos, está em terceiro lugar.

Mais longe das semifinais, o Botafogo vira a chave para a disputa da Copa do Brasil. Na quarta-feira vai até Natal (RN) para enfrentar o ABC, no Frasqueirão. A passagem à terceira fase vale a premiação de R$ 1,7 milhão. No Carioca vai jogar no outro fim de semana, quando fará o clássico com o Fluminense, numa disputa direta pela quarta vaga das semifinais. Pela 10.ª rodada, o Volta Redonda vai sair para enfrentar o Bangu, penúltimo colocado.

Antes do jogo começar, as palavras dos técnicos e as formações táticas, abriam a perspectiva de um jogo ofensivo. Neto Colucci manteve o esquema 4-3-3, tendo como destaque o atacante Alef Manga, artilheiro da Taça Guanabara com sete gols. Marcelo Chamusca, armou o Botafogo no 4-5-1, porém, prometendo aproximação e força ofensiva. Mesmo sem o jovem Matheus Babi, que está sendo negociado.

O primeiro gol saiu logo aos dois minutos e para o Botafogo. Felipe Ferreira foi lançado por Marco Antônio na última linha defensiva. Mesmo de costas ele fez o giro rápido e já ajeitou a bola para o chute forte com a perna esquerda. A bola ainda desviou na defesa, na perda do zagueiro Heitor que dava um carrinho, antes de entrar no canto direito do goleiro Vinícius.

O Volta Redonda não repetiu as boas atuações anteriores, mesmo assim, empatou aos 39 minutos. Após o cruzamento do lado direito, a bola bateu na defesa, no zagueiro Gilvan, e sobrou para o chute diagonal e rasteiro de Luciano Naninho. A bola entrou no canto esquerdo do goleiro Douglas Borges.

No início do segundo tempo, o Botafogo voltou a mostrar movimentações e agressividade. E reassumiu o comando do placar aos seis minutos. Rafael Navarro fez jogada individual, carregou a bola na velocidade, ganhou na disputa de corpo com a defesa e chutou forte para fazer 2 a 1.

Mas a defesa botafoguense voltou a bater cabeça e sofreu o empate aos 15 minutos. Luciano Naninho fez o passe em diagonal, Emerson fez o corta luz na frente de Gilvan e Rafael Carioca e a bola sobrou para Alef Manga. O artilheiro não perdoou. Ajeitou a bola e bateu forte para deixar tudo igual: 2 a 2.

Este foi o oitavo gol de Alef Manga na Taça Guanabara, líder da artilharia, e seu 11º gol em 11 jogos nesta temporada. Manga está sendo pretendido pelo próprio Botafogo para a disputa do Brasileiro da Série B.

Apesar das trocas ofensivas, com as entradas de Matheus Nascimento e Ênio, o Botafogo não melhorou sua produção ofensiva e não conseguiu a esperada vitória.

FICHA TÉCNICA

VOLTA REDONDA 2 X 2 BOTAFOGO

VOLTA REDONDA – Vinícius; Oliveira, Luan Leite,Heitor e Luiz Paulo; Bruno Barra, Emerson (Hiroshi) e Luciano Naninho (Marcos Bebê); MV (Caio Vitor), João Carlos e Alef Manga. Técnico: Neto Colucci.

BOTAFOGO – Douglas Borges; Jonathan, Kanu, Gilvan e Rafael Carioca (Paulo Victor); Luiz Otávio, Ricardinho (Marcinho), Matheus Frizzo, Marco Antônio (Ênio) e Felipe Ferreira (Ronald); Rafael Navarro (Matheus Navarro). Técnico: Marcelo Chamusca.

GOLS – Felipe Ferreira aos 2 e Luciano Naninho aos 39 minutos do primeiro tempo. Rafael Navarro aos seis e Alef Manga aos 15 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Grazianni Maciel Rocha.

CARTÕES AMARELOS – Luiz Paulo, Heitor, Alef Manga e Hiroshi (Volta Redonda). Marco Antônio (Botafogo).

REDAN E PÚBLICO – Jogo com portões fechados.

LOCAL – Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda (RJ).

Para cima