Novo calendário estende plantio de soja até 31 de janeiro

Palotina - 28-10-2020 - Lavoura de soja na região Oeste do Paraná -Foto : Jonathan Campos / AEN

Marcilei Rossi com AEN

Na edição do Diário Oficial da União dessa quinta-feira (2), o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou a portaria 389, que atende ao pedido de produtores de soja do sudoeste do Paraná, para a ampliação do calendário de semeadura de soja na safra 2021/22.

O novo documento é visto como uma vitória para os produtores que em julho deste ano, viram o mesmo Mapa publicar a portaria 306 do Plano Nacional de Controle da Ferrugem da Soja, que restringiu o plantio de soja na região, em 110 dias, ou seja, os produtores deveriam fazer a semeadura até 31 de dezembro deste ano.

Contudo, argumentando que o calendário de plantio deveria ser ampliado levando em consideração as condições climáticas do mês de janeiro, um grupo de lideranças sudoestinas se reuniu com o secretário da Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara para buscar uma nova sensibilização do órgão federal, uma vez que no passado, uma portaria permitiu os produtores 140 dias de janela de plantio.

Norberto Ortigara – Secretário de Agricultura do Paraná

Agora com a nova portaria, o calendário de semeadura passa a ser de 13 de setembro a 31 de janeiro, como os produtores vinham solicitando.

Nos últimos meses, o Sistema de Agricultura do Paraná liderou reuniões para ouvir reivindicações e encaminhar sugestões para o Ministério. Além disso, houve o engajamento das secretarias de Agricultura e dos órgãos de defesa agropecuária do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina para que se chegasse a um acordo comum nas reivindicações ao Ministério.

“Dá uma apaziguada geral no que toca à época de semeadura, já que tínhamos divergências de calendário especialmente entre os estados do Sul, com fronteira seca, o que era muito ruim”, afirmou Ortigara. “É uma grande conquista para sojicultura paranaense, especialmente para a parte Sul e Sudoeste do Estado, uma medida acertada para continuarmos crescendo com sustentabilidade, gastando menos recursos para produzir e controlando de forma adequada a ferrugem asiática”.

Presidente do Sindicato Rural de Pato Branco, e uma das lideranças que se mobilizou para a ampliação do calendário, Oradi Caldato disse na tarde de ontem que os produtores receberam com alegria a portaria do Mapa. “Comemoramos, o nosso pleito realizado e isso prova a força que temos no Sudoeste. É um reconhecimento pela responsabilidade que temos sempre”, avalia Caldato pontuando que os produtores respeitam o vazio sanitário. “Nos comprometemos e seremos os fiscais, se caso for preciso, da sanidade agropecuária. Para que ninguém ouse plantar soja após soja”, pontuou o presidente falando em destruição de lavoura, caso isso venha acontecer e comprometer a sanidade obtida.

Vazio sanitário

A Portaria 388 estabeleceu um conceito semelhante ao contido na Portaria 342/2019, da Adapar, quanto ao vazio sanitário. Ela estabelece que é “o período definido e contínuo em que não se pode manter plantas vivas de uma espécie vegetal em uma determinada área”. Essa é uma das principais novidades para a safra 2021/22.

“Agora voltou a ser possível semear em período anterior à data oficial prevista para o início do ciclo, contanto que as plantas não emerjam antes desta data”, disse o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, Renato Rezende Young Blood.

Calendário de semeadura

A nova legislação também acaba com o período preestabelecido de 110 dias para a semeadura. A partir de agora, o tempo será definido anualmente e terá como base as sugestões apresentadas pela Adapar e pela Superintendência Regional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento no Paraná.

“Na prática, tornou possível a extensão do período de semeadura, conforme solicitado pela Adapar”, afirmou Blood.

Plantio excepcional

O documento destaca, ainda, que, excepcionalmente, a Adapar poderá autorizar a semeadura e a manutenção de plantas vivas de soja, independentemente dos períodos de vazio sanitário e de calendário de semeadura.

Para isso, as finalidades dos cultivos autorizados em caráter excepcional deverão ser previamente aprovadas pelo Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas, mediante solicitação do Órgão Estadual de Defesa Sanitária Vegetal, protocolada junto às superintendências federais de agricultura, pecuária e abastecimento, em cada unidade da federação, com o mínimo de 60 dias de antecedência do início dos períodos de vazio sanitário e de calendário de semeadura.

Novas datas

A Portaria 389 tem como objetivo organizar o calendário de semeadura da soja de forma que localidades com condições semelhantes sigam as mesmas datas.

“Considerando os aspectos fitossanitários, esse alinhamento das datas entre estados traz grandes benefícios para o manejo da ferrugem asiática”, afirmou o gerente de Sanidade Vegetal da Adapar, Renato Blood.

Estas são as datas estabelecidas para a safra 2021/22:

Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul – 13 de setembro a 31 de janeiro.

Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e São Paulo – 16 de setembro a 3 de fevereiro.