Evento em Bom Sucesso do Sul debate manejo e destinação de embalagens vazias de agrotóxicos

Empresa Rio Elias Insumos Agrícolas reúne agricultores da região para reforçar os cuidados com o descarte dos recipientes; encontro contou com a participação do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev)

Na quinta-feira (11) à noite, produtores rurais, clientes da empresa Rio Elias Insumos Agrícolas, participaram de uma palestra para debater o manejo e o destino correto das embalagens vazias de agrotóxicos.

O evento, realizado em parceria com a Associação dos Revendedores de Insumos Agrícolas do Sudoeste do Paraná (Arias) e com o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev), ocorreu em Bom Sucesso do Sul e contou com a participação de, aproximadamente, 90 agricultores do município e de outras localidades, como Pato Branco, Vitorino, Renascença e Itapejara D’Oeste.

De acordo com o engenheiro agrônomo, Cassiano Conte, responsável técnico da Rio Elias Insumos Agrícolas, o assunto abordado na quinta à noite não é novidade para os produtores rurais. “O produtor sabe tudo o que foi falado na palestra. O problema é que a central, que recolhe os recipientes, tem apontado alguns erros na devolução dessas embalagens vazias. São detalhes que precisamos nos atentar para cumprir com as normas e evitar multas futuras, tanto para a empresa responsável pelo recolhimento, quanto para o agricultor”.

Os problemas com o descarte das embalagens vêm sendo notados desde agosto deste ano, quando o Inpev assumiu a logística do recolhimento das embalagens vazias na região, antes sob responsabilidade da Arias.

“Como eles [Inpev] estão assumindo agora, têm algumas coisas fora dos conformes. Por isso, estão orientando todo mundo. E aí, como a empresa que atua diretamente com os produtores, decidimos promover esta conversa em conjunto com eles, pois são quem realmente levam as embalagens até o Inpev”, esclareceu Conte.

A mesma ação de quinta-feira está sendo planejada para ser realizada em Itapejara D’Oeste — município em que a empresa também possui loja. A Rio Elias Insumos Agrícolas atende produtores de toda região e trabalha com a comercialização de sementes, fertilizantes e insumos agrícolas.

Importância da devolução correta das embalagens

Conforme o palestrante do evento, Wanderley Bernardin Andrade — engenheiro agronômico e coordenador de centrais do Inpev — e Raquel Ferreira, supervisora da central de recolhimento em Francisco Beltrão, a conversa com os produtores, intitulada como ‘Manejo e destino de embalagens de agrotóxicos’, teve a intenção de relembrar a maneira correta de fazer a devolução das embalagens após o consumo.

“Existem muitas dúvidas e desinformação sobre como fazer o retorno dos recipientes. Viemos aqui para explicar e ensinar os agricultores o passo a passo de como devem proceder com a devolução das embalagens vazias”, comentou Andrade.

O coordenador relembrou ainda que, caso a fiscalização verifique, ao visitar a propriedade, que tenha algum erro com o manejo e destino das embalagens de agrotóxicos, o produtor pode ser multado. O valor é de R$ 500 pela ocorrência, mais R$ 20 por embalagem em desacordo com a lei. “Essa multa é só da embalagem. Caso tenha um vazamento na propriedade, que contamine um córrego, passa a ser crime ambiental. Aí é outro valor, bem maior”.

Consciência ambiental com foco na produtividade

Para o produtor rural, Jhonata Munaretto, com propriedade localizada em Bom Sucesso do Sul, a palestra trouxe assuntos que já são do conhecimento dos agricultores. “O que acontece é que agora precisamos nos organizar ainda mais, ficar atentos a alguns detalhes que, às vezes, passam batido. É bom um evento assim porque nos atualiza e nos prepara para evitarmos multas futuras, que, é claro, nenhum agricultor gostaria”, comentou.

Luiz Carlos Telmann, também produtor rural, ressaltou que debater o manejo dos recipientes é pensar no meio ambiente. “Nós já fazemos parte das coisas apontadas na palestra, só precisamos ajustar alguns detalhes, como furar a embalagem e mandar os papéis juntos para o descarte. Fazendo isso, não só evitaremos multas, como estaremos protegendo o meio ambiente”.

Agricultores Jhonata Munaretto e Luiz Carlos Telmann

Entenda como fazer o descarte correto das embalagens

Imediatamente após o uso do agrotóxico, o produtor deve lavar a embalagem. Segundo Andrade, é preciso fazer a tríplice lavagem (somente com água limpa) ou a lavagem de alta pressão. Depois de limpa e seca, a embalagem precisa ser inutilizada. Para isso, o produtor deve furá-la.

Ao fazer o descarte, o agricultor precisa separar os recipientes. Ao todo são necessárias três big-bags ou sacos de ráfia — um para as embalagens, outro para as tampas, e um para os lacres, rótulos e bulas.

Descarte das embalagens

Em Bom Sucesso do Sul haverá, em janeiro de 2022, sete pontos de coleta itinerantes, credenciados ao Inpev, recolhendo as embalagens. No Sudoeste, são mais de 300 unidades.

Porém, esses pontos de recolhimento são somente para pequenas quantidades de embalagens — de 200 a 250 unidades. Para os produtores que possuem um volume maior de embalagens e têm a disponibilidade de levar até a central do Inpev, o procedimento de descarte é outro.

De acordo com o coordenador do Inpev, é preciso agendar pelo site www.inpev.com.br data e horário para o descarte na central, situada em Francisco Beltrão. No site, o agricultor deve ir na aba ‘Sistema campo limpo’; depois em ‘Adev’; e, por último, fazer o cadastro e agendar a melhor data.

Para conferir pontos e datas para o descarte, os produtores podem acessar o site da Arias www.ariaspr.com.br.

Wanderley Bernardin Andrade, engenheiro agronômico e coordenador de centrais do Impev foi o palestrante da noite