Sala de Fisioterapia da Casa de Apoio Gama é inaugurada

Assessoria

Na quinta-feira (8), foi inaugurada a Sala de Fisioterapia da Casa de Apoio Gama, local onde alunos e professores do curso de Fisioterapia do Centro Universitário de Pato Branco (Unidep) realizam atendimentos para contribuir no tratamento de pacientes com câncer.

A estruturação da Sala de Fisioterapia da Casa de Apoio Gama foi possível devido a doação de equipamentos do Rotary Club Pato Branco-Sul à Clínica Escola de Fisioterapia. A coordenação do curso, por sua vez, propôs a doação ao Gama, para as intervenções que são realizadas por alunos e docentes voltadas à fisioterapia oncológica.

A reitora do Unidep, Ornella Bertuol Antunes, lembra que além do curso de Fisioterapia, práticas de estágio e extensão também são desenvolvidas na Casa de Apoio por acadêmicos e professores de Psicologia.  “Agradecemos ao Rotary por estar conosco em mais esta ação, mas em especial agradecemos ao Gama por oportunizar aos nossos alunos experiências tão ricas, pois primamos por uma formação não somente técnica, mas sobretudo humanizada, voltada ao cuidado e à empatia com o ser humano. É uma formação holística, possível somente porque estamos junto à comunidade, exercendo o nosso compromisso em prol da saúde da população”, evidenciou.

O coordenador do curso de Fisioterapia, Michel Henrique Baumer, explica que a fisioterapia oncológica busca preservar a função afetada e assegurar a melhora na qualidade de vida de pacientes em tratamento contra o câncer. “Essa é uma área de atuação bastante ampla, uma vez que o câncer pode se dar em diversos órgãos e sistemas, além de apresentar diversos graus de estadiamento. Quadros mais leves exigem uma intervenção mais simples, quadros complexos podem envolver toda a recuperação de uma função perdida, como em pacientes com tumores que acometam partes do sistema nervoso central”, frisa.

A presidente do Gama, Cleuza Chiochetta, explica que por mês, mais de 420 pessoas são acolhidas pela Casa de Apoio. São pessoas que vêm a Pato Branco buscando os mais variados atendimentos de saúde, muitas delas oriundas de diferentes regiões do Brasil. Por isso, além daquelas que vão até ao local para fazer alguma refeição ou ter atendimentos pontuais, há também quem precisa pernoitar no espaço, que conta com ampla infraestrutura para receber esses pacientes. 

O presidente do Rotary Club Pato Branco-Sul, Luciano Pedralli, enalteceu a importância da Sala de Fisioterapia para o tratamento dos pacientes, bem como do trabalho voluntário realizado pelo Gama. “Quem não se solidariza pela necessidade e pela dor do outro precisa refletir. Aqui, estamos em um lugar feito por pessoas que tornam ações e projetos realidade porque dedicam-se ao outro”, pontuou. O governador assistente do Distrito 4640 do Rotary Club, Nézio José da Silva, também reforçou o significado do voluntariado. “Aqui temos um trabalho incansável, feito por pessoas que acreditam no desenvolvimento da sociedade e, com isso, ajudam a transformar vidas”, completou.

O prefeito de Pato Branco, Robson Cantu, enalteceu a história do Gama, associação fundada em 2006 por mulheres que passaram pelo câncer de mama. Hoje, esse legado e trabalho voluntário acolhem centenas de pessoas todos os dias. “O que temos aqui é um trabalho maravilhoso, feito por mulheres guerreiras, voluntárias e que atuam para fazer de Pato Branco uma cidade cada vez mais humana e digna. Por isso, agradeço ao Unidep e ao Rotary por oportunizarem mais uma importante conquista para os projetos que são realizados aqui”, concluiu.