Ano letivo de 2021 da rede estadual inicia da mesma forma que acabou em 2020

Mesmo com os protocolos de volta às aulas da rede estadual estabelecidos pela Secretaria Estadual de Educação (Seed), que destacam a higienização, desinfecção de objetos e distanciamento por exemplo, o início do calendário letivo de 2021, nessa segunda-feira (1º), foi do mesmo jeito que acabou 2020.

O objetivo era que os estudantes retornassem as atividades escolares em um modelo híbrido tão logo se iniciasse março, contudo o decreto assinado pelo Governador Ratinho Junior na sexta-feira (26) colocou o velho normal da educação — se é que dá para chamar assim o modelo adotado no ano passado — de volta a vida dos estudantes.

Com decreto valendo até 8 de março, mas podendo ser prorrogado, a expectativa é de que os colégios voltem a ter a movimentação dos alunos somente na próxima semana, e mesmo assim não serão todos, somente aqueles que tiveram o termo de autorização assinado pelos pais ou responsáveis no ato da matrícula.

De acordo com Iara Lúcia Tecchio Mezono, chefe do Núcleo do Regional de Educação (NRE) de Pato Branco, 70% dos quase 27 mil alunos matriculados na rede estadual, nos 15 municípios que integram o núcleo, estão autorizados as aulas presenciais.

Somente em Pato Branco são mais de 7,7 mil alunos autorizados a retornarem para as salas de aula.

“A volta às aulas é de suma importância para a retomada da aprendizagem formal dos alunos no ambiente escolar, mesmo com toda preocupação em relação ao covid-19”, afirma Iara, ao pontuar que os gestores das escolas obtiveram capacitação junto a Seed e NRE para este momento.

Iara também destaca que as escolas “estão seguindo todas as orientações da Sesa, que de acordo com as portarias, instruções e orientações deve seguir o protocolo da biossegurança do Estado. Cada escola organizou um comitê interno composto por representantes das escolas: professores, agentes, pais, alunos, para orientar, fiscalizar, aferir temperatura, cuidar dos banheiros, refeitórios, espaços livres, bibliotecas, assumindo a corresponsabilidade nos cuidados no ambiente escolar. Qualquer situação deverá ser informada ao gestor e equipe pedagógica da escola, bem como será informada a vigilância sanitária.”