Região

Ponte no rio Chopim ligando São João e Verê foi liberada

Ponte ligando São João e Verê tem 200 metros de extensão - Foto: Divulgação Prefeitura de Verê

Na quarta-feira (7), a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Bela Vista recebeu autorização ambiental do Instituto Água e Terra (IAT) e iniciou, os procedimentos para enchimento do reservatório. Na mesma data, a ponto sobre o rio Chopim, ligando os municípios de São João e Verê passou a ser utilizada.

Com o enchimento do reservatório da PCH, a travessia que até há anos vinha ocorrendo por meio de uma balsa, no ponto onde foi construída a ponte, deixa de ocorrer.

Neste momento, o uso da ponte de 200 metros, que foi construída pela Copel, atendendo reivindicação antiga da população, que agora é beneficiada com uma ligação rodoviária segura e gratuita entre os municípios, somente está liberado para veículos leves e ainda das 7h30 às 18h, mesmo horário de funcionamento da balsa.

A construção teve início em 11 de maio de 2020 e por enquanto está liberada apenas para o tráfego de veículos leves, devido à falta de sinalização e de alguns reparos nas laterais, itens que deverão ser concluídos até o fim da próxima semana.

O prefeito de Verê, Ademilso Rosin, afirma que o investimento total de R$ 224 milhões foi realizado integralmente pela Copel, em uma estrutura de 200 metros de extensão.

O próximo passo previsto para o munícipio de Verê, segundo o prefeito, é a pavimentação da rodovia, ato que trará mais segurança e comodidade para quem passa pelo trecho.

Rosin afirma que a estrutura trará muitos benefícios para toda a região, além de desafogar o fluxo de veículos de outras rodovias estaduais. “Essa ponte é solicitada há bastante tempo pelos moradores do Verê e também de São João, com toda certeza ajudará no desenvolvimento de ambos os munícipios”, afirma o prefeito.

Em vídeo divulgado nas redes sociais do Município, Rosin também destacou o potencial turístico de Verê, ao afirmar que a estrutura vai alavancar o setor.

Clóvis Cucolotto, prefeito de São João também destaca a reinvindicação antiga da população de uma ligação com Verê. Ele relata que por meio de rodovia, antes da liberação, mesmo que com algumas restrições neste momento, da ponte eram necessários aproximadamente uma hora, sendo que agora, o deslocamento passa a ser de cerca de 30 minutos.

“A ponte vai aumentar o fluxo tanto em São João como em Verê, algo que é muito importante, por não precisar a travessia [o que acontecia quando a balsa era utilizada]”, avalia Cucolotto falando que motoristas que tem como destinos outros municípios do entorno também serão beneficiados por conta da obra.

Assim como o colega de Verê, o prefeito de São João vislumbra o desenvolvimento das localidades próximas a área onde foi construída a ponte, e também defende a pavimentação asfáltica da via.

De imediato, Cucolotto vá antevê melhores condições para os trabalhadores que se deslocam de Verê para São João, para trabalhar no frigorífico. “Estes trabalhadores poderão acessar com melhor qualidade e flexibilidade de horário.”

PCH Bela Vista

O investimento da PCH Bela Vista é de R$ 224 milhões. A etapa de testes pré-operação na primeira das três unidades geradoras de energia. A usina terá 29,8 MW de capacidade instalada, vai produzir eletricidade para atender cerca de 100 mil pessoas e entrará em operação antes do prazo previsto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Os trabalhos para formação do reservatório podem durar até uma semana, dependendo da vazão do rio Chopim e das condições climáticas na região, segundo nota da Copel, que destaca ainda que o primeiro passo é testar o funcionamento das comportas que vão permitir o represamento de parte da água que chega à barragem da PCH. 

Essas comportas irão fechar os vãos de concreto construídos na margem esquerda e que serviram para desviar o fluxo do rio durante a construção da barragem. Com isso, a vazão de água abaixo da barragem será reduzida ao limite mínimo permitido pelo IAT e a área destinada ao reservatório será alagada. Quando a represa atingir o nível máximo previsto em projeto, a vazão do rio Chopim será regularizada já nas condições esperadas para a fase de operação da Usina.

O reservatório terá área de 266 hectares – sendo que, deste total, 177 hectares correspondem à área já ocupada naturalmente pelo rio. Então, a previsão de alagamento é de somente 89 hectares. Ao redor de toda a represa, será mantida uma faixa de 100 metros de vegetação compondo a área de preservação permanente.

Como medida de segurança, durante o período de realização de manobras para formação do reservatório, a população deve ficar longe das áreas desapropriadas pela PCH, que serão alagadas. Também é importante evitar o uso do rio para pesca (embarcada ou de barranco) e atividades de lazer, em especial nas áreas próximas às estruturas da hidrelétrica.

A energia a ser gerada na hidrelétrica será levada até a subestação existente em Dois Vizinhos através de uma linha de distribuição em alta tensão (138 mil volts) com 18 km que passa por Verê, São Jorge D’Oeste e Dois Vizinhos.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima