Pato Branco

Sociedade São Vicente de Paulo faz esclarecimento sobre lar de idosos de Pato Branco

A polêmica começou devido à transferência do imóvel do Lar dos Idosos para o Conselho Metropolitano (Crédito: Jéssica Procópio)

Após manifestação de entidades pato-branquenses — em relação a transferência do imóvel do Lar dos Idosos para o Conselho Metropolitano de Maringá, vinculado à Sociedade São Vicente de Paulo (SSVP) —, na sexta-feira passada (21), o Conselho Metropolitano emitiu na terça-feira (25) nota de esclarecimento.

O descontentamento das entidades foi demonstrado por meio de matéria, produzida pela assessoria do grupo, intitulada “Transferência do imóvel do Lar de Idosos gera preocupações em Pato Branco”, a qual foi amplamente divulgada pela mídia, inclusive pelo Diário do Sudoeste, na edição do último fim de semana.

Na ocasião, as entidades afirmaram enviar ofício ao Conselho Metropolitano de Maringá, bem como pedidos de informações à Câmara Municipal, à Prefeitura e ao Ministério Público. “Porque entendem que o Lar dos Idosos foi edificado não por uma entidade Vicentina, mas a partir da integração de toda a comunidade e com recursos do erário público”, declararam.

Em nota, o Conselho Metropolitano de Maringá, por meio de seu presidente, Vitor Carvalho Gomes, disse que “é fato que a estrutura foi erguida com o apoio e ajuda fundamental da comunidade de Pato Branco. A SSVP não questiona isso em momento algum. Porém, não é verdade que o Lar dos Idosos ‘não foi edificado por uma entidade vicentina’. Foi, sim. Essa entidade vicentina é o próprio Lar São Vicente de Paulo”.

Gomes afirma que, só no Brasil, são cerca de 600 lares de idosos, o que, segundo ele, a SSVP “é a detentora da maior rede de instituições desse tipo e já presta relevantes serviços públicos a essa população em centenas de localidades, espalhadas pelo país; com público de mais de 20 mil pessoas”.

O presidente do Conselho afirma que na estrutura da hierarquia da SSVP no Brasil, as obras unidas [como hospitais, lares de idosos, creches e educandários] estão vinculadas aos Conselhos Centrais. “É o caso do Lar São Vicente de Paulo de Pato Branco, vinculado ao Conselho Central de Guarapuava. E este, por consequência, ao Conselho Metropolitano de Maringá”.

Ele destaca que não é apenas em Pato Branco que um lar de idosos, ligado à SSVP, “funciona plenamente por causa do alto grau de reconhecimento da sociedade civil, que vem depositando até a presente data (25 de agosto) em seu nome a esperança de ver aplicados os recursos de todos os gêneros que são, diuturnamente, doados sob várias formas, o que temos procurado corresponder com honestidade e clareza”.

Gomes completa: “É necessário que fique claro a todos que a SSVP agradece a cada pessoa física, a cada igreja coirmã ou a cada outra associação, que muito ou pouco ajudou na manutenção do lar dos idosos ao longo de todos os seus anos de atividade. Mas, a SSVP, para manter sua unidade em todo o mundo e impedir a desagregação de suas Conferências ou o desvirtuamento de seus princípios fundamentais, baseia sua existência em uma organização administrativa que lhe é peculiar”.

Para o presidente do Conselho, assim como “a SSVP não tem o direito de administrar bens de outras organizações, pastorais, movimentos e da igreja, essas também não podem ter o direito de administrar os bens da SSVP”.

Gomes destaca que o Lar São Vicente de Paulo de Pato Branco, ao ser transferido ao Conselho Metropolitano de Maringá, preservará o patrimônio na própria SSVP, ao qual pertence.

“Foi uma decisão soberana, correta, discutida adequadamente pelas lideranças e aprovada. E legal (do ponto de vista jurídico). Mas note-se o seguinte: a ordem é para a transferência de propriedade de uma unidade vicentina para outra apenas (mas dentro da própria SSVP), e o uso do imóvel permanece inalterado. De forma alguma, a memória ou o interesse dos doadores do passado ou do presente está sendo desrespeitada ou descumprida. Portanto, não há motivos para qualquer preocupação ou inconformismo”.

O presidente do Conselho, ainda, informa que, para esclarecimentos de quaisquer dúvidas ou outras informações, pode entrar em contato com a Secretaria Executiva, das 8h às 18h, pelo e-mail institucional [email protected]

Entidades

As entidades que se mobilizaram na última semana foram: Família Rotária de Pato Branco (Pato Branco, Vila Nova, Araucária, Guarani, Pato Branco Sul, Alvorecer, Cristo Rei e Amizade); o Sistema da Federação das Indústrias do Paraná/Pato Branco (Fiep); o Grupo de Apoio a Mama (Gama) e o Instituto Regional de Desenvolvimento Econômico Social (Irdes).

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Para cima